sábado, 24 de setembro de 2016



 Aprenda a colorir seus dias agora.
 Eu sei que no escuro da sua mente ficou a sombra de um amor ideal, mas a vida continua, menina! Não tenha medo dos seus monstros, lute com eles e se torne forte.  Quando as luzes se apagarem ignore as vozes, escute as batidas do seu coração.  Não feche seus olhos, não eternize uma imagem já desbotada pelo tempo. Memórias de hoje, foram os bons momentos de ontem.  Memórias são perfeitas, o tempo têm asas, momentos passam e para sempre só dura até acabar. Mantenha distância suficiente para que não te faltar o ar, o céu de uma boca muito próxima pode desabar sobre você, até que nenhuma palavra mais seja dita, ecoando o vazio da vida que já não existe além de sua mísera fantasia. Não queira bancar a princesinha da roleta russa, esperando pela sorte de ser salva. Seja seu próprio salvador e o jogo da ilusão não irá te ferir. Agora você anda pelos achados e perdidos da realidade sem nenhuma inspiração, acerte o passo e vá em frente. O caminho de volta para o seu eixo pode ser longo, leve só o que não pesar no peito e o que não couber na alma deixe escorrer dos olhos e não olhe para trás, porque o espaço entre você e o passado já virou abismo. Pare de contabilizar os erros, as culpas, há um cáos perigoso no mimimi. Prenda a respiração, conte até dez, porque sempre haverão dias em preto e branco. Aguente firme, vai pintando os dias com o seu melhor sorriso e nada menos que isso, mesmo que doa, sangre e te dilacere, sorria e só ria, até fazer parar. E se, novamente a sombra daquele amor bater em tua porta e te olhar, desvie. Se te abraçar apertado, fuja!! Não faça mais planos, amores ideais sempre passam com a mesma velocidade que a idéia, e o que fica é solidão e saudade.



quarta-feira, 25 de maio de 2016



Parabéns a todos profissionais da Massoterapia que com DEDICAÇÃO e RESPEITO cuidam fisico, emocional e energéticamente resgatando e promovendo saúde e bem estar para seus clientes.



sábado, 10 de outubro de 2015

Querido diário...





Há um ano depois de muita luta, muita ajuda e muito apoio eu exumei o corpo do meu pai e viajei com os restos mortais dele por 36 horas dentro de uma mala, todo o translado legalmente autorizado pela polícia civil e outros setores responsáveis. Tudo foi muito complexo! Ter mãos me sustentando para não cair, foi um jeito divino de Deus me ajudar. Apesar de todos os desastres e dores que já enfrentei, sempre tive anjos ao meu lado, desses sem asas à quem chamamos de amores e amigos. Muitos me chamaram de louca, que eu devia ter deixado que o cemitério local exumasse e guardasse num nicho na capela de ossos. Mas, isso sim, eu achava mórbido e triste. Dentro daquela mala, eu carreguei mais que ossos. Carreguei um dos maiores sentimentos e respeito que já senti por alguém. Ali eu carreguei algumas promessas, sonhos interrompidos e a certeza de estar fazendo a coisa certa.

E eu fui, fui até o fim. Triste, mórbido, doloroso, exaustivo ou não, eu cumpri um pedido e a minha palavra. E essa nem foi a parte mais difícil. No meio do percurso, eu já até falava e brincava com aquela mala. Acho que, era um jeito de ri para não chorar. Ao chegar ao destino final, é que foi elas... uff, tive de assistir mais duas exumações, a do meu irmão e de minha mãe. Naquela hora, eu achei que não ia aguentar. Eu fui tomada por uma dor tão avassaladora, por um vazio tão imenso, que eu tentei me manter de pé e não consegui. Respirar parecia impossível e não conter aquela cachoeira nos meus olhos foi inevitável. Entre soluços eu clamei por alívio daquela dor. Me senti perdida e sozinha no mundo. Acho que foi a primeira vez que realmente percebi e deixei minha fragilidade aflorar. Essa doída e infinita ausência de pessoas insubstituíveis foi assustadora naquele momento! Tive vontade de deitar naquele túmulo e não voltar mais ao mundo real. Mas, outra vez, anjos enviados de Deus, tocaram-me o ombro e estenderam-me as mãos. Estava feito! Era importante que eu seguisse em paz. E eu pedi muito prá Deus essa paz. Tenho pessoas que dependem de mim, da minha sanidade e da minha presença.

Tirei alguns dias de descanso, revi muito amigos, parentes, tive a oportunidade de rever lugares, questões familiares, de retratar muitas coisas. Fui sem medo seguindo os novos caminhos, libertando tudo o que devia ficar lá no passado. Lavei minha alma no mar. Fui acolhida com amor por abraços sinceros, reais, e de repente, apesar da falta dos meus entes queridos, ia novamente sendo preenchida de vida, de pessoas, de alegrias...

A vida é feita de perdas, de mortes, de despedidas...
Mas a vida também é constante renascimento, presente, chegadas, fazendo-se nova e nos tornando capaz de superar nossos "eus" que ficaram pelo meio do caminho e desejar o futuro.
Eu só tenho gratidão, por Deus ter me dado forças até aqui, voltar para casa e abraçar meus filhos.

Vivi muitas partidas, tristezas e decepções, mas vivo muito mais de alegrias e vitórias. Principalmente da alegria de ter compartido da vida com pessoas tão especiais, como meus irmãos e pais, ainda que por tão pouco tempo. Olho para dentro de mim e sinto vida, pulsando. Meu amor por eles será eterno e a única coisa que ficou na minha mala é a obrigação que sinto que devo a eles, de ser grata por esta vida, não importa o que eu esteja passando, independente do que esteja acontecendo no mundo, é preciso encontrar um jeito de ser paz em meio ao caos. Tenho buscado ser pensamentos de luz na minha própria escuridão. Um ano, e o tempo que é uma ilusão, me guia nesta jornada de aprendizado e auto-conhecimento.


* Não é um texto, só um desabafo, sorry!. É fim de semana, feriadão prolongado e meu psicólogo foi viajar, rs.*

domingo, 20 de setembro de 2015

Moon, Love, Stay...



   Sem necessidade de ser a primeira vez, todos os dias a lua nasce.

Sem necessidade de ser única, todos os dias se repete diferente. 

Não há necessidade de provar que a lua existe, Por que ela sempre está lá e isso é real.

Quando percebê-la, a lua estará lá só para você.
A lua, apenas e seja como for, é real e torna-se essencial!
Sua única necessidade, é todo dia, ser percebida para tocar-nos, condicionando-nos a admirar a beleza que a compõe e isso é real.
Tantos passam pela noite, sem admirará-la, mesmo sabendo que ela está lá. Com um pouco de sorte, para estes, será apenas uma noite nublada. 


 Sem necessidade de pódio, o amor chega.
Sem numerais, o amor cresce.
Sem preocupar-se em não se repetir, o amor se faz novo.
O amor supera a condição humana egocêntrica e suas dificuldades, por amor.


Nossa única necessidade de amor, é reconhecê-lo, aceitá-lo e apropriar-nos da capacidade e da benção de poder senti-lo. Tantos passam a vida sem conhecer o amor. Alguns sabem que está em algum lugar no coração de alguém e nem todos saberão como alcançá-lo.


 Não importa se mais uma vez, se mais de uma vez, se uma última vez... 

Quando o amor alcançar você, não se preocupe tanto em fazê-lo mais importante e único.
Não perca tempo comparando ou medindo a força e tamanho desse amor.
AME, PELO AMOR DE AMAR  E SER AMADO e, simples assim, torne-o real a cada dia,
        stay... stay...       

  Ser real é ser existencial, amor é reciprocidade.
   Ser importante, ser provado, é apenas questão de ego.

       Boa noite! E se você ficar, apague a lua....



                                 






sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Sonhei com você, Pai!




E vagarosamente o ontem já são 5 longos anos...

- Mais uma taça pro meu choro engolir, por favor.

Não é um conto. Aconteceu comigo!

Pausa para uma breve reflexão dos sonhos que envolvem você, pai!

Sonhei que você seria imortal. Não foi.

Despertar para essa realidade dura e cruel de que meus dias seriam sem você para compartir, pareceu-me mais um pesadelo.

Um dia você seguiu viagem e eu fiquei aqui, na estação da vida, como uma pamonha mole parada. Mas logo me prontifiquei a não te decepcionar e continuei em frente, foi inevitável!

Espaço entre o trem e a plataforma.

Uma nuvem que passa.

Uma onda que voltou para o mar...

Como areia nos dedos a deslizar, metade de tudo que me fez bem, hoje tua ausência veio me habitar. 

Outro sonho com você, mais uma noite insone e looooonga. Dessa vez, um ritmo me embalava em seu abraço. Não lembro o nome da canção que ouvi. Talvez até lembre, mas prefiro deixá-la no anonimato das minhas recordações.

O seu amor me pediu silêncio...

Podia escutar o burburinho do vento e a batida do seu coração, sem precisar falar nada, apenas sentindo sua constante presença.
Teu sorriso, teu fago e tuas mãos me alcançaram. Enfim, adormeci.


Lembranças se tornaram um ritual secreto para abrir o portal do meu coração.

Eterno que o tempo deixou em todos os cantos dos pássaros.
Seu amor está guardado em meu olhar e a luz que me desperta nesta manhã tem alcance tão distante e me diz, que ainda podemos ser como antes, em meus sonhos oníricos, basta acreditar!

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Rabiscos, psiquê e devaneios...

Rabiscos, psiquê e devaneios... (part III)

Somos obrigados a levantar e enfrentar os nossos fantasmas, os nossos medos, as nossas dores, as nossas angústias, os nossos fracassos, afinal a vida tem esse papel. É quase uma imposição, um decreto, uma lei. Acordar prá vida, levantar e seguir, mesmo aos trancos e barrancos, mesmo cambaleantes ou preguiçosos, somos obrigados. A vida tem esse poder de nos fazer movimentar, é seguir ou seguir, sem ao menos olharmos para trás. Tentamos boicotar, fazer pactos, tratos, algumas rezas, estabelecer escambos, mas não adianta, têm momentos que não existem moedas de troca. Só nos resta seguir, levando nosso muro de lamentações , realizando a via crucis de nossas mazelas, para no final das contas , depois de percorrermos alguns trechos, darmos a mão à palmatória e percebemos que essa foi a melhor solução. Encarar nossos fantasmas é e sempre será a melhor opção. Acordar prá vida, levantar, caminhar, encarando os problemas e as dores frente a frente, só nos economiza tempo e TEMPO É VITAL.


Rabiscos, psiquê e devaneios... (part IV)

Esse é o Dr. Core
Apesar de Dr., vez em quando, ele faz bico de cupido. Tem esse jeitão quadrado, mete sempre o nariz onde não é chamado. É meio frescurento e bobo, vive tendo palpitações, fica ansioso, é chorão e parece frágil. Mas, quem vê cara não vê coração. Pensa numa figura prá gostar de aventura, também gosta de jogar, competir. Escuta heavy metal. Vive aos "pegas" com o cérebro. Mandão, controla o que eu como, me obriga a parar, silenciar, meditar. Me obriga a malhar e a cada batida fica mais experiente e forte. Adora chamar minha atenção, se magoa fácil, mas não posso vacilar um segundo que ele já se bandeia pro seu lado, te põe dentro de casa e nem te cobra aluguel. Não é bom gerenciador, não. Paga prá ver, é gastão, não sabe economizar carinho, adora se doar, amigueiro, gosta de fartura! Quando se apaixona é fiel, intenso e ciumento. É criativo, curte LDA e filminho água com açucar .. Ah, já ia esquecendo, esse carinha aí tem memória curta, defeitinho de fábrica! Mas é um bom coração!

By, Emilia Costa Noia.





domingo, 30 de agosto de 2015



"Amor de mãe é grande e aumenta ainda mais à medida que os filhos crescem".

 Por isso, sinto meu coração giGante!!

Filhos, por pouco tempo couberam no meu colo, mas eu sei que ele será sempre de vocês, independente se ele ficou pequeno. Vocês estão crescendo, eu envelhecendo.
Enquanto assumem novas responsabilidades, eu crio rugas. Sinto falta do cheirinho de bebê, das altas gargalhadas de perder o folêgo, dos cut-cut, de fazê-los dormir, dos primeiros passos e até dos notívagos e ardidos chorinhos! Guardo a primeira roupinha que os apresentei ao mundo. Ficará guardadinha, para que de vez em quando eu possa cheirá-la, mesmo sabendo que o tempo vai mudando aquela fragrância johnson's baby.
Olhar suas fotos pequeno (a), e sentir cair uma lágrima de saudade. Mas sei que vivi para vocês com o melhor que eu pude, tentei, acertei e errei. Aprendemos! Me doei por inteiro e, não imagino minha vida sem vocês. Vou sempre me lembrar de tudo, de cada historiazinha, de cada momento. Assim, vou aproveitando cada minuto antes que vocês cresçam de vez e saiam para o mundo, buscando suas vidas, na lei natural da humanidade...
O tempo tá passando, as coisas irão mudar. Mas estarei sempre com vocês enquanto Deus permitir.