terça-feira, 1 de novembro de 2011

Refém do seu afeto...

 Minha leitura está em pausa.
 Meu olhar atravessa a janela, alaranjada pelo pôr-do-sol.
 O vento que repousa no parapeito traz consigo a carícia do silêncio.
 Vejo paisagens incríveis, só não ouço do que elas falam.
 Em estado de surdez, tomada pela nostalgia, as vozes tornam-se murmúrios nas calçadas.
 As horas se fazem fugitivas, e o tempo parece ancorado nos meus pensamentos.
 Olhos no horizonte, imersos à minha imaginação já em câmera lenta.
 Você em meus braços e o mundo inteiro desaparece. Uma música toca para dois. Tão próximos... Tão próxima, enquanto estou assim tão próxima de me sentir viva, e a vida passa...
 Esses mesmos insigths românticos me fazem viver e morrer.
 Nunca soube que a espera fosse tão presente. Quase acreditando que não é faz de conta. Sinto você ao meu lado. Posso ver onde chegamos, juntos. Tão longe e tão perto. Eu só não queria perdê-lo agora.
 Me debruço sobre a janela. Sinto o seu corpo. Sem seu calor, sem o cheiro e sabor, reclamo baixinho. Deixo cair uma lágrima feito gota de chuva.  Não! Eu não sou uma vítima e nem carrego karmas por gosto à dor.  Mas sinto que corro em círculos, e como numa espiral, volto sempre prá dento de mim. Vivendo às voltas enquanto sou só lembranças, abraçada a um latente passado.
 Refém do seu afeto. Aposto na saudade mais íntima prá te prender num apertado chamego de amor. Procurando espaço e me ajeitando prá sermos só um.  De intenção, inicial, apenas recostamos sobre a cabeceira  de alguma cama. Guardo meus pés entre suas coxas. Repouso minha mão no seu peito. E deixo minha alma sorver de tua essência, onde o tempo não existe e não me deixa só, com meu desejo num fim de tarde.
 Acordo do meu delírio. De repente se fez noite. Fecho a janela, ainda sem saber o que digo prá mim, quando for me deitar e tentar me acostumar a não ter mais você, e buscar suas mãos até o amanhecer. E acordar sozinha com o coração batendo forte no meu seio!
  

11 comentários:

  1. "Guardo meus pés entre suas coxas. Repouso minha mão no seu peito. E deixo minha alma sorver de tua essência..."

    Mila , vamos combinar o seguinte: Não aguento isso não, sinceramente.

    Fala serio!

    Chega a dar um tranco, um troço,um solavanco e meio perdido entre sensações, só me resta aplaudir.

    É isso!

    O aplauso farto e merecido de uma plateia extasiada, tipo gran finale do Cirque du Soleil e eu, mesmo sendo um só, encho o ambiente de uma balbúrdia infernal que expressa em manisfestações contínuas a única palavra que me traduz : BRAVO!!!

    E o seu respeitável público, certamente irá concordar.

    Um abração carioca.



    Eu mesmo sendo um só, ao final deste texto

    Coisa mais bonita, desprendida, intimista, franca,

    ResponderExcluir
  2. Na vida, como na Primavera, tudo renasce e se renova... até o amor!...
    Dentro do teu peito habitam ainda todos os sonhos, todos os desejos, todas as paixões...


    Meus beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  3. Hola Mila! Gracias por visitarme. Me gustaria poder comentar tus textos entendiendolos 100 % pero lamentablemente mi portugues es inexistente y solo comprendo muy poco. Aun asi, seguire visitandote, por ahi mejoro jjeje.Un abrazo.

    ResponderExcluir
  4. Ah Mila menina. Fiquei aqui pensando sabe?
    O que dizer? Bravo? Ja dizeram..Você tem a sutileza, a delicadeza, a beleza do sentimento,
    do toque,de voar na alma, do "sentir" amor...Linda é voce.

    Amar é permitir sempre, amar é deixar que o outro vá — ou que fique, se assim o desejar. Amar é ter um respeito absoluto pela própria liberdade e pela liberdade do outro. Amar é compreender sempre. E isso não significa apenas entendimento racional, vai além, muito além: Amar é reconhecer afetuosamente o direito que o outro tem de fazer suas escolhas — mesmo que essas escolhas eventualmente me excluam.(Edson Marques)

    Um beijo na alma

    ResponderExcluir
  5. éh amiga...cada momento....cada instante qie passa....vc atravessa a alma de cada um de nós e faz transparecer em sutis palavras oq sentimentos em varios momentos de nossas vidas.....
    Parabéns amiga!!! amo vc!!

    ResponderExcluir
  6. Eu quero deste amor!
    Tem um pouquinho dele sobrando por aí?
    Eu estou estupefato com o seu poder de rasgar um coração, só com carícias. Assim me apaixono pelo seu amor, menina.

    Seu admirador secreto.

    ResponderExcluir
  7. Mila,

    Lindo e tocante o seu texto.
    A gente não comanda o coração e ele mesmo na ausencia bate firme no peito nos lembrando que estamos vivos e que somente o tempo nos trará novas, enebriantes e completas sensações.

    bjo procê, oarabens pelo texto. Gostei daqui, volto pra te visitar.

    ResponderExcluir
  8. Seria o amor uma prisão?
    Ou seria liberdade?
    Ama quem se sente preso ao ser amado, ou aquele que, sentindo-se livre para partir, prefere ficar? É bonito sentir-se preso pelo cadeado da paixão, especialmente quando não se perdeu a chave do cadeado. Ama de quem é refém espontâneo e tem seu amo como refém de si.
    Eu sou bem falador também, um verdadeiro tagarela...rs... Todos nós o somos, pelo menos na prolixidade da escrita. E como um bom tagarela, me cabe reverenciar o silêncio e tentar mitigar minha ânsia de dizer mais do que devia ponderando estas duas forças opostas, mudez e prolixidade, com a consciente medida exata do silêncio que me falta.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Mila,

    Obrigada por sua visita!
    É... me vi nesse texto! Como é difícil 'estar' em um só... porque é momentâneo. Sabemos que é. Sempre é.

    Já que gosta de seguidores... rs... serei mais uma! Gostei muito daqui!

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. ...Olá! Belo texto...Linda autora!

    " Cada um que passa em nossa vida, Passa sozinho.
    Mas, não vai sozinho e não nos deixa sozinhos...delírios...refém...Leva um pouco de nós e deixa um pouco de si".
    Bjs.
    Final de semana de muita luz!

    ResponderExcluir
  11. Hermoso y emotivo texto en un blog sugerente y original.Un placer seguirte.Saludos poéticos.

    ResponderExcluir

Agradecer é um hábito saudável para quem sabe viver e fazer do agradecimento uma forma de conservar a amizade e conquistar novos amigos!
Obrigada por sua visita e por seu cometário. Volte sempre!